ARGUMENTAÇÃO E MULTIMODALIDADE
O fenómeno da argumentação é estudado por várias áreas do saber, conhecendo sentidos diferentes consoante a perspetiva teórica adotada. Lógica; Filosofia; Direito; Ciências da Linguagem; Retórica; Semiótica; Processamento da Linguagem Natural são apenas algumas das áreas que elegem este tema como objeto central das suas reflexões. Dentro das Ciências da Linguagem, duas grandes formas de conceber a argumentação coexistem. Ora o termo argumentativo implica a existência de uma classe de enunciados, textos ou discursos que partilham propriedades próprias do que é ser argumentativo, assumindo que existem outras classes não argumentativas (sequências textuais prototípicas de J.M. Adam); ora, o termo argumentativo e argumentação surgem como propriedades que se estendem a toda a linguagem (argumentatividade como um princípio de organização do discurso (Charaudeau e Maingueneau); orientação argumentativa do sentido (Ducrot)) sendo, nesta segunda aceção, enunciar igual a argumentar. Fairclough aludia já à vocação colonizadora do discurso argumentativo, fazendo prever que poucos tipos de discurso lhe escapariam. Estas duas formas de entender a argumentação não se excluem e podem coexistir, configurando, por um lado, uma argumentatividade constitutiva e uma argumentatividade manifesta (mais ou menos explicitamente) nos textos e nos discursos, de acordo com a presença de mecanismos textuais específicos. Assim como a subjetividade, no sentido enunciativo de Benveniste, está inscrita na linguagem, por via do seu enunciador, também a argumentatividade o está, por via da orientação da linguagem para a ação sobre o real e sobre o Tu. Não obstante esta configuração constitutiva, os textos e os discursos podem transportar mais ou menos marcas explícitas desta predisposição, tornando relevante o estudo da materialização discursiva da argumentação. Esta materialização, em certas formas de discurso, acontece multimodalmente. Tal é o caso de muitos géneros textuais que combinam vários modos semióticos para gerar sentido. Podemos, aliás, dizer que a maior parte das formas de comunicação atuais são multimodais, tornando, por isso, incontornável o estudo da interação entre modos semióticos complementares na construção da argumentação. Esta interação semiótica acontece tanto em géneros mais tradicionais do discurso científico, académico, didático, jornalístico, político, publicitário, entre outros; como, ainda, em formas textuais mais recentes da comunicação digital. A tendência para a circulação digital de todos os discursos, torna, aliás, a multimodalidade a regra, sendo, pois, a argumentação produzida e processada de forma multimodal. É neste quadro que as JADIS IX e o CIED IV elegem o tema Argumentação e Multimodalidade. Assumindo-se como amplo e transdisciplinar, o tema favorece o diálogo entre diferentes correntes dos Estudos do Discurso, entre diferentes áreas das Ciências da Linguagem e entre diferentes disciplinas das Ciências Sociais, convidando a uma reflexão integrada sobre os fenómenos da argumentação e da multimodalidade e da sua interação.

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO
Sessões plenárias: conduzidas por conferencistas convidados.
Sessões de comunicações individuais: selecionadas por submissão de resumos. As comunicações individuais terão a duração de 20 minutos, acrescidos de 10 minutos para discussão.
Participação em painéis temáticos: poderão ser submetidas propostas de painéis temáticos de um máximo de 5 cinco participantes e um mínimo de 4 (um deles será o coordenador). O coordenador de painel deverá enviar uma proposta de tema e resumo do Painel; número e identificação dos participantes e resumo de cada uma das participações (segundo instruções abaixo).
Participação com poster: admite-se também a participação através de poster. Cada poster poderá ter um máximo de dois autores.
Todas as propostas devem conter os seguintes elementos: Indicação de modalidade de participação: comunicação oral, póster, painel temático;
Identificação: nome do(s) autor(es); filiação institucional e contactos (telefone e email); São elegíveis estudantes de pós-graduação, docentes e investigadores.
Resumo: até 300 palavras, incluindo: título; objetivos, fundamentação teórica, metodologia, resultados, bibliografia essencial (no mínimo, 3 referências);
Palavras-chave: de 3 a 5 palavras-chave.
As propostas poderão ser submetidas em português, inglês, espanhol ou francês, no seguinte link da plataforma easychair.
Data limite de envio das propostas: 30 de abril.
Data limite de notificação de aceitação: 30 de maio.
Está prevista a publicação de um volume com uma seleção das comunicações apresentadas no Encontro.
Mais informações sobre o Encontro estarão disponíveis em http://web4.letras.up.pt/jadis/
Inscrição com comunicação: 70,00€


(INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
Terão também lugar na FLUP em outubro, os seguintes eventos da área das Ciências da Linguagem:
7, 8 e 9 de outubro: ENAPL (Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Linguística);
15, 16 e 17 de outubro: IAFL (European Conference of the International Association of Forensic Linguists).

JadisIX Call for Pappers.pdf

ARGUMENTATION AND MULTIMODALITY
The argumentation phenomenon is studied by several areas of knowledge, receiving different meaning according to the theoretical perspective adopted. Logic; Philosophy; Law; Language Sciences; Rhetoric; Semiotics; Natural Language Processing are just some of the areas that choose this theme as the central object of their reflections. Within the Language Sciences, two major ways of conceiving argumentation coexist. The term argumentative can imply the existence of a class of utterances, texts or discourses that share properties of what it means to be argumentative, assuming that there are other non-argumentative classes (J. M. Adam’s prototypical textual sequences); or the terms argumentative and argumentation appear as properties that extend to all language (argumentativeness as a principle of discourse organization (Charaudeau and Maingueneau); argumentative orientation of meaning (Ducrot)) and, in this second sense, to enunciate is the same as to argue. Fairclough already referred to the colonizing vocation of argumentative discourse, suggesting that few forms of discourse would escape it. These two ways of understanding argumentation are not mutually exclusive and can coexist, configuring, on the one hand, a constitutive argumentativity and a manifest argumentativity (more or less explicit) in texts and in discourse, according to the presence of specific textual mechanisms. Just as subjectivity, in Benveniste’s enunciative sense, is inscribed in language, by means of its enunciator, so too is argumentativity, through language orientation towards action on the real and on the interlocutor. Despite this constitutive configuration, texts and speeches can carry more or less explicit marks of this predisposition, making the study of the discursive materialization of argumentation relevant. This materialization, in certain forms of discourse, happens multimodally. Such is the case with many genres that combine various semiotic modes to generate meaning. In fact, we can say that most of the current forms of communication are multimodal, thus making the study of the interaction between complementary semiotic modes in the construction of argument essential. This semiotic interaction occurs both in more traditional genres of scientific, academic, didactic, journalistic, political, advertising, among other, types of discourse; as well as in more recent textual forms of digital communication. The trend towards the digital circulation of all discourses, in fact, makes multimodality the rule. Therefore, argumentation tends to be produced and processed in a multimodal way. It is in this context that JADIS IX and CIED IV choose the theme Argumentation and Multimodality. Assuming itself as broad and transdisciplinary, the theme favors the dialogue between different currents of Discourse Studies, between different areas of the Language Sciences and between different disciplines of Social Sciences, inviting an integrated reflection on the phenomena of argumentation and multimodality

PARTICIPATION CONDITIONS
Plenary sessions: sessions conducted by invited speakers.
Parallel sessions: oral communications selected by means of abstract submission. Papers will be allocated 20 minutes plus 10 minutes for questions. Post-graduation students, teachers and researchers are eligible.
Thematic panels: thematic panel proposals should include 4 or 5 speakers (one of them being the coordinator). The coordinator of the panel will be responsible for submitting a theme proposal, the panel abstract, identification of the participants and the abstract of each talk.
Posters: poster presentations are also admitted (maximum of 2 authors for each poster).
All proposals must include the following elements
Participation mode: poster; oral communication, thematic panel;
Identification: name of the author(s); affiliation; contact information (telephone number and e-mails address);
Abstract (maximum 300 words) including: title, objectives, theoretical framework; methodology; results; fundamental bibliography (minimum 3 references);
Keywords: 3-5 keywords.
Proposals must be submitted in Portuguese, English, Spanish or French to the easychair data platform.
Submission deadline: April 30th; Acceptance deadline: May 30th
A volume with a selection of papers presented in the Conference is planned.
Further information will be available at http://web4.letras.up.pt/jadis/
Inscription fee for participants who will present their works: 70 euros.


(ADDITIONAL INFORMATION:
In October 2020 at FLUP, the following scientific events of Language Sciences will also take place:
October 7, 8 and 9: ENAPL (National Conference of Portuguese Linguistics Association);
October 15, 16 and 17: IAFL (European Conference of the International Association of Forensic Linguists).


JadisIX Call for Pappers.pdf